4 características que a Netflix busca em novos funcionários

Olá!

Qual o perfil ideal para trabalhar na Netflix?

Existe este perfil no mercado?

Você se considera com estas características?

Veja no post do Idgnow

Importante destacar a questão da colaboração.

Uma que eu acrescentaria(por minha conta), seria: HUMILDADE!

Viva os profissionais que conseguem reunir:

  • Disciplina
  • Agir como líder
  • Colaboração
  • Altruísta
  • Humildade

Será que temos algumas destas?

#BoraRefletir

 

 

Sucesso na Netflix, esta série é quase um curso de liderança e negociação

Olá!

Como entretenimento também é muito bacana – assista.

Muito bem construída a série retrata um assalto a Casa da Moeda Espanhola, onde um grupo de ladrões são comandados pelo Professor – cérebro por trás do assalto. Ele planeja cada detalhe, cada situação e suas alternativas. Até parece uma trama comum, não se engane, não é.

Inclinando para o mundo Agile, seria o Professor, o nosso Product Owner – como muitos estão dizendo? Preocupação extrema com o ROI? rs..rs

Veja as lições de liderança no artigo da Exame

Boa leitura e assista a série!

 

 

Todo mundo quer ser a Netflix. Será?

Olá!

A Netflix é um fenômeno mundial, com quase 100 milhões de assinantes no mundo (Junho/2017).

Começou como uma empresa de locação de DVDs…

Estreou no Brasil há mais de 5 anos…

No Brasil, ultrapassou o faturamento de algumas TVs abertas…

Está presente em 130 países(Junho/2017)…

Ou seja, é só vitória em cima de vitória! Engano…

E quando ela arrisca com um conteúdo inovador, e não dá certo? Ela simplesmente cancela. E a vida segue, porém,  os prejuízos são reais!

Se realmente desejamos ser a Netflix, devemos estar dispostos a arriscar, cometer erros e aprender com isso.

Gostamos de errar? Não. Mas acontece.

E como sendo uma empresa de tecnologia, está sempre atualizando seu software. E quando os clientes não gostam da mudança? Ela volta atrás, redesenha… Enfim, responde à mudança.

Todos nós queremos ser a Netflix,  que é fenomenal, no entanto, a outra parte que “falha”, queremos distância…Lamento decepcioná-lo.

Não existe a Netflix que acerta, e a outra que erra.

Existe apenas a Netflix.

Pergunto: Você ainda quer ser a Netflix?

Inovar é arriscar!

Transparência no Scrum – Modelo Frank Underwood

O framework Scrum, tem se tornado cada vez mais famoso e utilizado nas empresas de variados portes.

Sua utilização no mercado de desenvolvimento de software, nem se fala.

Os pilares do Scrum, são: transparência, inspeção e adaptação. Algo “simples” de praticar… rs..rs.

Transparência, existe no mundinho corporativo? Será que podemos medir através do “Transparenciometro”? Onde compro este aparelho?

Transparência, porque todos deveriam conhecer o andamento do projeto, o compartilhamento das informações…

Fique tranquilo, as empresas estão adotando o modelo de transparência fundamentado em Frank Underwood (personagem da série House Of Cards – da Netflix).

Frank Underwood, um personagem que usa meios pouco ortodoxos, e é a encarnação do cinismo, egoísmo, maldade e outras características não muito nobres.

Então, por que relacionar o pilar da transparência do Scrum ao terrível/temível Frank Underwood?

Porque Frank Underwood nunca é transparente, somente quando fala diretamente para a câmera(de vídeo). Desta forma, ele é transparente apenas quando “fala com a câmera”…

Diante disso, os demais personagens da série, convivem com a total falta de transparência de Mr. Underwood.

Será que nós, do mundinho corporativo, não estamos parecidos com estes personagens?

Bem que poderíamos pedir para os protagonistas(da corporação) falarem diretamente para a câmera, e neste raro momento, esbanjar transparência, imitando nosso querido e amável Frank Underwood.

 

 

Somos gladiadores de terno. Visão Agile

Olá!

Para quem conhece a série Scandal da Netflix, sabe o que acontece no mundo de Olivia Pope, principal personagem da série, uma gestora de crise e imagem das celebridades.

Ela utiliza os mais variados expedientes para atingir seus objetivos. Sua equipe, são chamados de gladiadores de terno, fazem o que precisa ser feito.

Sem olharmos os métodos da equipe(altamente questionáveis), poderíamos ver alguns pontos positivos:

– Os objetivos são claros para todos da equipe.

– Farta utilização de quadros – gestão visual.

– Comunicação intensa.

– Sacrifício de toda equipe pelo objetivo maior.

– Cada um da equipe, toma a iniciativa.

– Cada membro tem sua expertise, mas a equipe é que importa.

Esquecendo a ficção, podemos muito bem emprestar estes pontos acima para nossa equipe.

No mundo Agile, cada dia também é uma batalha…

Porém, eu trocaria os trajes. Somos gladiadores de camisa polo e sapatênis.

O importante é o combate, e claro, vencer a guerra em conjunto com a sua equipe.

Somos gladiadores de camisa polo e sapatênis, fazemos o que precisa ser feito para entregar resultados.

Agile é trabalho árduo diariamente!

Discurso: Novos procedimentos, Novo Mindset

Olá!

 Imaginem um Scrum Master dirigindo-se a uma platéia composta de: GPs, Dev Team, Coordenadores de Projetos, Gestores e Diretoria, fazendo o discurso abaixo:
“Sinto extrema honra em ter a oportunidade de trabalhar com todas as mentes brilhantes e talentos aqui presentes hoje…”
“Todos sabemos o desafio que nos espera”
“Devemos dar o melhor de todos”
“Olhar para o passado em busca de inspiração… seria um erro em minha opinião”
“Tratamento mais igualitário, menos ostensivo, mostrar mais respeito”
“Novos procedimentos, fruto dos ventos da mudança…”
“Desenvolvimentos tecnológicos que nunca sonhamos antes…”
É possível ver em suas palavras: entusiasmo, vontade de fazer diferente, energia, orgulho(de tentar inovar), brilho no olhar para fazer o melhor (em seu ponto de vista)…
Este Scrum Master, está diante de uma platéia cética, conservadora, desconfiada…
Pois é meus amigos… Este discurso(iniciado no minuto 32 do quinto episódio da série The Crown – Netflix) foi proferido pelo Príncipe Philip, diante do Parlamento Britânico.
O Parlamento reagia incrédulo, diante das proposições inovadoras do príncipe…
Voltando a realidade, vamos pensar:
Será que todas as inovações propostas pelo príncipe(Scrum Master), são aplicáveis naquele contexto?
Precisaria a platéia ser tão cética? Tão hostil?
Se você está ao lado do Scrum Master(ops, do princípe Philip) ou da platéia conservadora: bom senso!
Em tempo: Sr. Scrum Master que se considera príncipe…
          Querida realeza que se considera nobre…
 O que conta mesmo é entregar valor aos verdadeiros reis – o cliente
 Que Deus, salve a todos!
Observação: Obrigado Netflix por nos agraciar com uma série tão bacana e ainda por cima, nos dar inspiração para ilustrar os desafios do Scrum Master.

Série The Crown da Netflix e a “incompatibilidade” com o Agile/Scrum Guide

Mais uma excelente produção da Netflix. Assista.
A série narra o início do reinado da rainha Elizabeth II, os fatos políticos/econômicos, conflitos familiares e outros. Tudo numa belíssima produção!
Seria vossa Majestade uma crítica do Scrum Guide? Uma GP clássica? rs..rs
O Scrum Guide, fala sobre os pilares do Scrum:
– Transparência
– Inspeção
– Adaptação
Estes seriam também os pilares da monarquia britânica, mostrados na série da Netflix? Nãooooooooo.
Logo nos primeiros episódios, vemos a falta de transparência entre todos. Um ponto marcante sobre isso, é a doença do rei George. Zero Transparência.
E a inspeção?
Se a transparência foi pro brejo(caçar sapos!), imagine a inspeção!
No modelo de monarquia(da série), poucos podem inspecionar, e se encontrar desvios, será necessário ver o que convém mostrar, para não afrontar a coroa… Nossos artefatos precisariam de pequenos ajustes para espelhar a beleza real.
Sobrou a adaptação. Xiii…
Precisamos seguir os costumes. Adaptar, pode ser ofensivo, desfiguraria a monarquia, isto é para os súditos.
Afinal, precisamos fazer de tudo para manter a realeza bem na foto(mesmo que a máquina tenha menos megapixels).
No mundo Agile, estamos focados em qualidade e entregar resultados para impactar os súditos,  os clientes, as pessoas, os reis e todo reino animal.
Sangue azul não combina com Agile.
Desculpa a brincadeira, NetFlix! Sua série é show, e com certeza ajudou  a reforçar(divertidamente) os pilares do Scrum:
– Transparência
– Inspeção
– Adaptação
Vida longa ao Agile!

Netflix, Globo, HBO e Amazon brigam pelo mercado de vídeo pela internet

Olá!

Esta briga tem um ganhador: nós consumidores.

Veja no portal Estadão:

http://link.estadao.com.br/noticias/geral,netflix-globo-hbo-e-amazon-brigam-pelo-mercado-de-video-pela-internet,10000090844

Quanto mais opções, melhor para todos, pois a concorrência estimula os fornecedores a sempre buscar evolução. Mais conteúdo, novos recursos, mais dispositivos e mais qualidade

E podemos assinar quantos serviços quisermos. Sensacional este poder na mão do consumidor.

Rival do Netflix, Amazon Prime Video chega ao Brasil. Reflexão Agile

Olá!

Toda competição é boa para o mercado…

Veja a notícia no portal Idgnow:

http://idgnow.com.br/internet/2016/12/14/rival-do-netflix-amazon-prime-video-chega-ao-brasil-com-mr-robot-e-seinfeld/

Mas queria levantar uma reflexão:

Sobre o produto Amazon Prime comparado ao Netflix, nos seguintes aspectos

  • Acervo
  • Usabilidade e UX
  • Aspectos gerais do produto

Isto me levou a pensar: como é importante o cliente final ter(participação ativa) e contato com o produto(o mais breve possível), para termos algo melhor, mais funcional e usável.

Será que falta dinheiro para a Amazon? Não, não falta.

Será que eles não sabem fazer? Sim, sabem.

Não possuem conhecimentos técnico? Sim, possuem.

O que falta ? Tempo e muito trabalho para evoluir o produto .

A gente sempre espera o produto maravilhoso, e esquece que para para atingir este nível demanda: muito investimento, tempo, trabalho árduo, participação do cliente e doses gigantes e contínuas de feedback!

Não existe um regador mágico que faz o produto brotar(perfeito) do dia para noite! Tem gente no mercado achando que existe! É trabalho amigo! Desculpe falar isso.

Isto tem tudo a ver com o Mindset Agile em minha modesta opinião.

Boa sorte Amazon Prime Vídeo!