O PODER das interações cara a cara

Olá!

Em tempos de trabalho remoto e alta tecnologia proporcionando muitas facilidades, a boa e velha conversa cara a cara, funciona cada vez melhor.

Claro que podemos utilizar diversas ferramentas que permitem ligações/video conferência, mas nada ainda se compara, a conversar olho no olho, tomando um bom café, por exemplo.

Em muitos casos, utilizar a tecnologia de chamada em grupo ou video, funciona, consegue promover alinhamento, mas parece falta algo? E para você?

E o e-mail? ainda tem vez? Particularmente, gosto de utilizar como registro formal do que foi conversado cara a cara.

Nem tudo são flores na conversa cara a cara, principalmente para que isto ocorra, alguém vai ter que deslocar fisicamente – e se for nas grandes capitais, o transito é um desafio, mesmo se você escolher um momento “fora do horário de pico”. Por  outro lado, este deslocamento(quando realizado por aplicativos de carona – Uber, 99, Cabify) pode proporcionar que o profissional durante o trajeto, “trabalhe em outros assuntos”.

As conversas cara a cara, são muito ricas e proporcionam um entendimento mais amplo da situação, pois você acaba tendo contato com o “habitat da outra pessoa”.

Eu destaco ainda a questão da utilização de quadros brancos ou flip charts para rascunhar ideias/fluxos – para mim é um super recurso(simples), muito barato, funcional e fantástico!

Aprendi esta forma, quando vi a imagem abaixo.

 

Illustration-of-richness-and-effectiveness-of-different-communication-channels-from

Espero que após visualizarem a imagem acima,  as pessoas entendam o PODER das interações presenciais para discutir e resolver problemas de forma colaborativa.

Não deve ser a toa que o Manifesto Ágil coloca com seu primeiro valor

“Indivíduos e interações mais processos e ferramentas”

manifestov

Por uma mundo mais colaborativo, com interações presenciais(respeitosas e cordiais) para produzir resultados melhores.

Mas nada contra as interações virtuais, acredito que o melhor seja combinar ambas as formas!

#mindsetcolaborativo

#borainteragir

 

Product Backlog, o que é isso?

Olá!

É uma lista de requisitos de um determinado produto, segundo o framework Scrum

Vamos olhar o que diz o Scrum Guide (Guia Oficial do Scrum)


Definição de backlog

“O Backlog do Produto é uma lista ordenada de tudo que é conhecido ser necessário no produto. É a única origem dos requisitos para qualquer mudança a ser feita no produto. O Product Owner é responsável pelo Backlog do Produto, incluindo seu conteúdo, disponibilidade e ordenação.”

Fonte: Scrum Guide 2017

Pelo texto acima(Definição de backlog), algumas coisas não fariam o menor sentido:

  1. Lista não esta ordenada
  2. Mais de uma origem dos requisitos
  3. Não existir Product Owner
  4. Product Owner não promovendo a visibilidade

 


Backlog nunca esta completo

“Um Backlog do Produto nunca está completo. Os primeiros desenvolvimentos estabelecem os requisitos inicialmente conhecidos e melhor entendidos. O Backlog do Produto evolui tanto quanto o produto e o ambiente no qual ele será utilizado evoluem. O Backlog do Produto é dinâmico; mudando constantemente para identificar o que o produto necessita para ser mais apropriado, competitivo e útil. Se um produto existe, seu Backlog do Produto também existe.”

Fonte: Scrum Guide 2017

Pelo texto acima(Backlog nunca esta completo), algumas coisas não fariam o menor sentido:

  1. Montar o backlog inteiro
  2. Congelar as mudanças – para prevenir alterações no escopo
  3. Capturar todos os requisitos para fechar o backlog
  4. Produto sem backlog

 


Conteúdo do backlog

“O Backlog do Produto lista todas as características, funções, requisitos, melhorias e correções que formam as mudanças que devem ser feitas no produto nas futuras versões. Os itens do Backlog do Produto possuem os atributos de descrição, ordem, estimativa e valor. Os itens do Backlog geralmente incluem descrições de testes que comprovarão sua completude quando “Prontos”.”

Fonte: Scrum Guide 2017

Pelo texto acima(Conteúdo do backlog), algumas coisas não fariam o menor sentido:

  1. Congelar as mudanças – para prevenir alterações no escopo
  2. Evitar as correções ou melhorias

 


A importância do feedback

“Enquanto um produto é usado e ganha valor, e o mercado fornece feedback, o Backlog do Produto torna-se uma lista maior e mais completa. Requisitos nunca param de mudar, então o Backlog do Produto é um artefato vivo. Mudanças nos requisitos de negócio, condições de mercado ou tecnologia podem causar mudanças no Backlog do Produto.”

Fonte: Scrum Guide 2017

Pelo texto acima(A importância do feedback), algumas coisas não fariam o menor sentido:

  1. Postergar o uso do produto
  2. Não realizar ciclos de feedbacks
  3. Congelar requisitos
  4. Ignorar as novas condições do mercado (competidores, legislação, etc)

Resumo da ópera: O Backlog é dinâmico, gerido pelo Product Owner, e sprint a sprint o feedback é fundamental, pois gera aprendizado e oportunidade de melhoria.

Ninguém disse que é fácil aplicar!

Na dúvida, leia o Scrum Guide e discuta com seu Scrum Team.


pb

 

 

Evento: Product Camp Brasil 2018 – 5 e 6 de dezembro – São Paulo/SP

Olá!

Vem aí o Product Camp Brasil 2018 – Dezembro/2018 – SP

Veja alguns tópicos que serão abordados no evento:

  • Lean Market Validation
  • Tópicos avançados de gestão de produtos
  • Tendências no comportamento do consumidor
  • 10 dicas para um Product Manager de alta performance
  • E muito mais

Eu já garanti a minha vaga!

#boraparticipar

#borainteragir

productcamp2018

Usuário final ganhando desconto para testar o produto – Isto ecziste?

Olá!

O Uber vai descontinuar o Uberpool e para substituir, lançará o Uber Juntos… Até aqui, tudo bem, mas a empresa, resolveu oferecer descontos para os usuários(passageiros) testarem(na vida real) a nova modalidade.

Qual foi a última vez que você ofereceu desconto para os seus usuários ? Lembra?  rs..rs

O ponto central para mim, é a empresa colocar o passageiro(usuário final do aplicativo) para testar o produto em condições reais e como incentivo ainda oferecer o desconto.

Além do desconto em si, que acaba chamando a atenção, o fato de envolver desta forma  o usuário final, acho fantástico. Não tem como saber, qual foi o envolvimento do usuário final na fase de concepção, ideação e a liberação dos primeiros releases desta funcionalidade.

“A companhia ainda ressalta que nos primeiros três meses, como incentivo para que os usuários testem o produto, as viagens terão valor até 50% inferior”

Quanto mais envolvermos o usuário final com o nosso produto, maior serão os ganhos, tais como:

  • Benefícios para o produto
  • Aprendizados sobre nosso usuário
  • Pontos a serem evoluídos
  • Interações do usuário com o produto em condições reais – vida real
  • Aumento do engajamento
  • Promoção da marca (se tudo der certo)

Esta ação merece ou não merece nossa atenção e no mínimo uma reflexão – novo tempos, meu amigo

#foconousuáriofinal

#mindsetcolaborativo

#leanstartup

UberUsuarioFinalAprovado