Por que trabalhar 30 horas por semana é uma realidade próxima

Olá!

Qual sua carga horária de trabalho atual?

Acredito que muito mais que 30 horas?

Existe relação de carga horária com produtividade para trabalho do conhecimento?

Por que quantidades excessivas de trabalho são prejudiciais?

E como a tecnologia impacta na carga horária?

Trabalhamos mais ou menor por contato do aparato tecnológico?

Veja o artigo na Época Negócios

Que tal iniciar os planos para uma mudança como maior qualidade de vida?

 

Product Owner – Arsenal de ferramentas

Olá!

O papel do Product Owner, tem ganho cada vez mais relevância, ainda mais nesta “onda digital” que estamos vivendo.

Diante deste cenário a própria certificação de Product Owner, começa a ser muito demandada.  Profissionais dos mais variados segmentos, estão iniciando o contato com a gestão ágil de produtos.

Você pode simplesmente começar pela leitura do Scrum Guide + Manifesto Ágil

E que tal, você aprofundar seus conhecimentos sobre o papel do Product Owner?

E se este aprendizado fosse algo mais intenso, com muito conteúdo prático e muitas interações presenciais?

Então, nós da AgileNow estamos propondo o seguinte:

Realize uma imersão no mundo do Product Owner através de nossos treinamentos:

COMPRE AQUI o treinamento de Product Owner e 24 e 25/02 – SP – presencial – 08:30 as 18:00

Quem comprar(até 20/02/2018 ou as 2 vagas restantes – o que ocorrer primeiro) o treinamento de Product Owner, ganhará os demais treinamentos:

Ferramentas para Product Owner – 24/03 – SP – presencial – 08:30 as 18:00

Canvas Feature 11 e 12/04 – SP – presencial – noturno

Construindo um product back log passo a passo – 08 e 09/05 – SP – presencial – noturno

Ferramentas e técnicas diretamente do campo de batalha para a sala de aula.

Dúvidas? Entre em contato: contato@agilenow.com.br

Agilenow

 

 

 

 

O futuro do trabalho – Apresentações da manhã no Agile People Sweden

Olá!

O evento ocorreu em Estocolmo – Outubro/2017, abordando o trabalho.

Palavras ou expressões como:

  • Sociocracia 3.0
  • Propósito
  • Auto organização
  • Agilidade
  • Impacto social

O quão distantes estamos deste modelo?

E na sua empresa? Discuti-se ao menos?

Veja mais sobre no portal Infoq.com/br

“Governança e agilidade andam juntas. Uma boa governança liberta as pessoas para decidir e fazer o seu melhor!”, argumenta Priest.

Veja o que é Sociocracia 3.0

Veja mais sobre inteligência coletiva

 

 

Quais os 3 maiores desafios de um Scrum Master?

Olá!

Nós da AgileNow em conjunto com o blog canaldevbr.com queremos ouvir sua opinião a respeito. Conte um pouco da sua experiência e ponto de vista.

Envie sua resposta até 20/02/2018 – clicando aqui

Não é sorteio!

Participe! Em nosso treinamento de PNL para Scrum Masters vamos mostrar o poder da Programação Neuro Linguística como ferramenta para lidar com diversos obstáculos durante a adoção do Agile. Técnicas para enfrentar resistências, o poder das palavras, como sair da zona de conforto, metas e muito mais.

A melhor resposta(avaliada por nossos profissionais) ganhará 1(uma) vaga(totalmente gratuita) no treinamento de PNL para Scrum Masters nos dias 15 e 16/03/2018 – SP – presencial.

O(a) ganhador(a) será conhecido(a) no dia 03/03(sábado) durante o treinamento Agile + Scrum Fundamentos.

Dúvidas? Mande e-mail para contato@canaldevbr.com

Agile é interagir para produzir resultados.

Produto:Versão de testes eterna, ou quase isso!

Olá!

Ontem(12/02/2018), li a notícia sobre o lançamento do Youtube Go no Brasil (Fevereiro/2018). Logo baixei o aplicativo e fui testar.

A interface simples e bem objetiva, revela de forma clara o funcionamento do produto. Funciona muito bem. Atende ao propósito.

Algumas coisas me chamaram a atenção na Google Play (dados de 12/02/2018) – versão de 07/02/2018

  • Aplicativo não lançado
  • Talvez ele seja instável
  • 10 milhões de download

YoutubeGo

youtubego2

Após utilizar o aplicativo, fui atrás de notícias que falavam sobre o produto, encontrei esta notícia que diz sobre a primeira versão lançada na India em Setembro/2016. de de onde eu tirei os seguintes dados abaixo:

O processo de elaboração da app:

  • Uma equipe de engenheiros, designers e pesquisadores
  • Coletaram informações em 15 cidades da Índia
  • Ouviram Feedback dos usuários
  • Experiência de uso mais relevante e mais barata
  • Produto pensado no uso offline ou em conexões de baixa qualidade
  • Funções básicas para atender ao propósito

Fica claro, que o Google investiu na ideia de: Ouvir a dor do usuário final

Pesquisar, estudar, avaliar, rascunhar e lançar várias versões (ainda em beta) para que os usuários finais pudessem EXPERIMENTAR.

Pra mim, isto é Lean Startup: Construir, Medir e Aprender.

Ainda hoje(Fevereiro/2018) continua o aviso de versão beta, que pode trazer instabilidade, conforme as imagens acima(capturadas diretamente da Google Play em 13/02/2018).

Com estas versões betas, eles aprendem sobre o produto, ideias que deram certo, errado, novos rumos e além do fato de “colocar o usuário final como centro desta ação”. Todos ganham.

O que estou querendo dizer é: o poder da experimentação realizada diretamente com o usuário final. Por quê não investimos mais neste modelo?

Alguns motivos que tenho ouvido, para não investirmos:

  • “Nosso cenário é complexo, não admite experiências”
  • “Temos um produto que interage com um ecossistema”
  • “Não se testa com cliente, brinque na sua casa”
  • “Nosso segmento é acompanhado de perto pelo órgão regulador, não temos margens para experimentações”
  • “Nosso concorrente também não faz”
  • “Todo o nosso processo interno e de governança são muito rígidos”
  • “Não existe MVP, existe produto completo, o resto é balela de consultor”
  • “Não temos um time dedicado”
  • “Devemos sim, ser digital, mas sem ações de riscos e pensando sempre no médio prazo, pelo menos nos próximos 3 anos”
  • “Produto que envolve múltiplos canais e sistema legado não podem ter pequenas entregas…”

Resolvi, não seguir enumerando os demais motivos.

Claro, que adotar uma estratégia de pequenos incrementos -> testar – validar/descartar com o usuário final, de fato é uma mudança muito grande em relação ao modelo atual, vigente na maioria das empresas. E que estes ambientes, possuem diversas restrições: do gestor, da equipe, do cliente, do usuário final, do PMO, do GP, regulatórias, de processo, governança e etc.

Cabe a cada empresa, avaliar o seu processo e dizer se deseja iniciar uma jornada mais centrada no usuário final do seu produto, e com isso assumir todos os riscos e aprendizados que o modelo proporciona.

Desenvolver produtos com foco no cliente, é um grande desafio.

Qual empresa que você conhece lançaria uma versão(loja de app) com o aviso: “Talvez ele seja instável”

Novos tempos, novas maneiras de fazer.

Sim, isto implica em mudar o processo e o “famoso mindset”.

Será que o pessoal do Google andou lendo o livro Direto ao Ponto, do grande mestre Paulo Caroli?

Que tal alguns experimentos? Bora começar?

Feito, melhor que perfeito.